Influenciadores do jogo do tigrinho são investigados por lavagem de dinheiro

heloisa vasconcelos.webp

Escrito por:

Sobre o autor

Há 1 ano, acompanha de perto o mercado e as leis das apostas para você não perder nenhum lance.Leia mais
Jornalista
larissa borges author

Revisado por:

Sobre o autor

Desde 2021, avalia a confiabilidade das apostas e estratégias para suas melhores jogadas.Leia mais
Editora
Atualizado: 8 Feb 2024
jogo fortune tiger

Foto: Divulgação

Um grupo de influenciadores que ostentavam riqueza nas redes sociais enquanto divulgavam o jogo Fortune Tiger, conhecido como "jogo do tigrinho", está sendo investigado pela Polícia Civil do Paraná pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

A suspeita é que os influenciadores trabalham como aliciadores, trazendo novas pessoas para o jogo e ganhando dinheiro pela divulgação. O caso foi tema de reportagem do Fantástico no último domingo (3).

Eduardo Campelo, Gabriel, Ezequiel e Ricardo publicavam vídeos nas redes sociais divulgando o jogo e ostentando em carros de luxo e viagens internacionais. Segundo eles, o dinheiro para bancar o estilo de vida vinha do jogo.

“Olha aí, minha rapaziada. Ex-motoboy comprando carro de R$ 1 milhão", diz o influenciador Du Campelo, em vídeo nas redes sociais.

Segundo pesquisa feita pelo Aposta Legal Brasil, sete em cada dez brasileiros não confiam em indicações de influenciadores sobre apostas.

Investigação da polícia

As publicações em que os influenciadores divulgavam a oportunidade de dinheiro fácil chamaram a atenção da Polícia Civil do Paraná.

"Eles eram motoboys, pessoas comuns e num curto espaço de tempo apareceram com diversos carros importados, viagens internacionais", disse o delegado da Polícia Civil do Paraná, Thiago Dantas, em reportagem da Globo.

O grupo acumulava cerca de 1 milhão de seguidores e ganhava entre 5 mil e 15 mil por campanha de 7 dias.

Eles também obtinham lucros a cada novo jogador que conhecia o jogo do tigrinho por meio da divulgação. Segundo a polícia, eles ganhavam entre R$ 10 e R$ 30 por cada novo cadastrado nas plataformas.

Em novembro, Eduardo, Gabriel e Ricardo foram presos, enquanto Ezequiel não foi encontrado.

Na operação, a polícia apreendeu carros e dólares em espécie. A estimativa é que o grupo tenha movimentado R$ 12 milhões em 6 meses.

Comentários

Deixe o seu comentário

Veja o que outros usuários dizem

Ainda sem comentários

Artigos relacionados

symbolLogoGreen
ministerio-da-fazenda.jpg
Feb 19, 2024
Novidade
Quais são as doze portarias sobre apostas que o governo ainda deve editar?

A expectativa do Ministério da Fazenda é que todas as portarias sejam publicadas ainda no primeiro semestre deste ano, concluindo a regulamentação.

Legislação
legalização dos cassinos.jpg
Feb 09, 2024
Legalização de cassinos físicos pode ser votada neste ano; entenda

Três projetos de lei que tratam de cassinos físicos no Brasil estão em tramitação e podem ter movimentações relevantes após a regulamentação das apostas.

Legislação
symbolLogoGreen
bônus apostas.jpg
Feb 06, 2024
Regulamentação das apostas proíbe bônus? Entenda possível impacto

Artigo da legislação proíbe concessão de adiantamentos ou bonificações para a realização de apostas, mesmo que apenas a título de publicidade.

Legislação
symbolLogoGreen
ministerio da fazenda.webp
Jan 31, 2024
Governo cria Secretaria de Prêmios e Apostas no Ministério da Fazenda

A secretaria será responsável por regular, monitorar e fiscalizar as apostas de quota fixa no Brasil, além das demais modalidades de loterias.

Legislação
symbolLogoGreen
ministerio da fazenda
Jan 05, 2024
Com a regulamentação, quais os próximos passos para o setor de apostas?

Mercado de apostas esportivas ainda aguarda a edição de portarias por parte do Ministério da Fazenda e a possibilidade de anulação de vetos presidenciais.

Legislação
symbolLogoGreen
sancao das apostas.jpg
Dec 29, 2023
Novidade
Governo sanciona PL das apostas, mas retira isenção do apostador

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou o projeto de lei que regulamenta as apostas de quota fixa no Brasil em Diário Oficial extraordinário publicado nesta sexta.

Legislação