Empresas novas chegam no mercado de apostas brasileiro com regulamentação

heloisa vasconcelos.webp

Autor:

Sobre o autor

Há 1 ano, acompanha de perto o mercado e as leis das apostas para você não perder nenhum lance.Leia mais
Jornalista
Atualizado: 14 Fev 2024
novas empresas de apostas

Foto: Freepik

A regulamentação das apostas esportivas trará ao Brasil uma gama de novas empresas que preferiam não se aventurar em um mercado cinza.

Dentre as 134 empresas que manifestaram interesse ao Ministério da Fazenda para operar apostas de quota fixa no Brasil há nomes conhecidos, como 1XBET, Betfair e Betano.

Também há empresas grandes do mercado de apostas que não atuavam nesse ramo no Brasil, como o Hard Rock e a MGM.

Outras muitas empresas da lista são novas no mercado de apostas esportivas, licenciadas de grandes empresas internacionais que ainda não atuavam no Brasil.

De acordo com o presidente da Associação Nacional de Jogos e Loterias (ANJL), Wesley Cardia, a expectativa é que mais empresas grandes surjam na lista e consigam a licença brasileira até julho deste ano.

Procura pelo mercado nacional

Wesley conta que muitas empresas grandes não tinham interesse em atuar no mercado brasileiro pela falta de uma legislação que regulamentasse o mercado.

Com a aprovação da Lei nº 14.790, que trouxe condições de tributação e outorga vistas como vantajosas pelo setor, o mercado brasileiro se torna promissor e mais empresas devem buscar a licença brasileira.

quoteIcon
Com a lei, vários players internacionais virão. Muitos ainda não vieram porque muitas empresas que têm ação em bolsa não podem entrar em mercados não regulamentados.
wesley_cardia.jpg

Wesley Cardia

Presidente da ANJL

“Agora que está regulamentado, empresas internacionais se sentirão mais confortáveis para vir para o Brasil”, diz.

Ele detalha que a lista de empresas que manifestaram interesse ao Ministério da Fazenda inclui vários CNPJs de escritórios de advocacia ou contabilidade que repassarão as licenças para empresas de fora, que ainda não puderam fazer o pedido.

Segundo ele, não há espaço para empresas pequenas, que faturem menos que R$ 1 bilhão anual no mercado. Alguns players podem escolher não ficar por não quererem arcar com os custos da regulamentação.

"Não é viável. Qualquer empresa que fature menos de R$ 1 bilhão no ano, sai do mercado. O que vai acontecer é que as empresas menores vão ser vendidas para operadores internacionais, há um movimento muito grande nesse momento dessas empresas menores batendo na porta das maiores para vender”, diz.

Empresas já conhecidas

A Betsson é uma das empresas que já atuam no mercado brasileiro hoje e que preencheram o formulário de interesse na licença brasileira. Com plano de expansão na América Latina, a empresa vê o Brasil como um mercado importante.

"A betsson tem uma estratégia de expansão latino americana, que é um mercado que está passando por regulamentação de uma forma geral. O Brasil sendo o principal mercado, ter uma estratégia que não passe pelo Brasil não faz sentido", diz o sócio-gerente da Betsson, André Gelfi.

quoteIcon
Nós manifestamos interesse estamos trabalhando com o cenário base de conseguir a licença. As portarias vão definir as nuances. É provável que tenha poucas surpresas, mas existe ainda essa possibilidade
andre-gelfi.jpg

André Gelfi

Gelfi explica que a empresa está olhando o Brasil com planos de traçar uma estratégia regional. Segundo ele, existe ainda uma apreensão quanto às portarias que precisam ser editadas pelo Ministério da Fazenda.

Quem também tem interesse em atuar no Brasil é o grupo LeoVegas, que atua principalmente com cassinos. Conforme o diretor de comunicações da LeoVegas Group, Daniel Valiollahi, o Brasil é uma "oportunidade de ouro".

"Brasil e outros países regulamentados da América do Sul apresentam uma oportunidade de ouro de crescimento para operadores de escala global com um produto forte, que necessita de escala e um bom entendimento das preferências dos consumidores locais. O país vai se tornar um campo de jogo que todo mundo quer jogar em 2024", destaca.

Licenciada brasileira

Uma das empresas brasileiras que começará a operar apostas esportivas como licenciada de uma internacional é a Big Entretenimento. A empresa fechou parceria com a marca Caesars Entertainment e trabalha com campeonatos de poker no Brasil.

O diretor executivo da licenciada, André Feldman, explica que a empresa está se preparando para entrar no mercado de apostas esportivas assim que tiverem em mãos a licença.

“Tem muitas empresas americanas que não se sentem confortáveis em operar em mercados não regulados, eles esperam a licença para aí sim começar a operar”, coloca.

Ele considera que os valores de outorga e tributos no Brasil são justos e são bons balizadores do mercado, garantindo a operação de boas casas de apostas.

quoteIcon
As empresas têm que ter consciência e responsabilidade. Quando você paga uma licença cara, vai cuidar muito bem dos clientes e das regras. Esse preço faz com que haja maior responsabilidade no mercado.
Quote author

Empresas novas

A Play 7 é uma das empresas que solicitou licença ao Ministério da Fazenda que é nova no mercado de apostas no Brasil. Eles já possuem contrato com a Open Bet, uma grande operadora internacional.

Conforme o CEO da empresa, Elder de Faria Braga, a casa de apostas está em um momento estratégico de captação de investidores. Ele considera que o forte da nova empresa será a tecnologia.

“Provavelmente não vai ser o maior mas também não vai ser o menor, mas vai ser uma empresa importante no mercado. Nossa expectativa é que o mercado cresça demais e nos próximos anos o Brasil seja talvez o segundo maior mercado do mundo em apostas”, espera.

A empresa planeja investir bastante em marketing para conseguir visibilidade no mercado brasileiro. Segundo Elder, os empresários já tiveram uma reunião com o Ministério da Fazenda e aguardam “ansiosamente” a licença para os próximos passos.

Comentários

Deixe o seu comentário

Veja o que outros usuários dizem

Ainda sem comentários

Artigos relacionados

symbolLogoGreen
operação penalidade máxima.jpg
Mar 01, 2024
Como estão as investigações da Operação Penalidade Máxima?

Operação do Ministério Público de Goiás investiga casos de manipulação de resultados no futebol e teve nova fase deflagrada no fim do ano passado.

Mercado
symbolLogoGreen
loterias estaduais.jpg
Feb 29, 2024
Que estados possuem loterias estaduais com quota fixa? Confira mapa

Paraná e Rio de Janeiro já estão operando apostas de quota fixa, enquanto a maioria dos estados não possui loterias estaduais.

Mercado
symbolLogoGreen
apostas em esports.jpg
Feb 29, 2024
O que esperar do mercado de apostas em eSports no Brasil?

Ainda sem regulamentação, os esportes eletrônicos movimentam bilhões de dólares e têm o Brasil como um importante mercado consumidor.

Mercado
symbolLogoGreen
Imagem de um homem digitando em um computador
Feb 20, 2024
Novidade
Interesse por apostas cresceu 14 vezes nos últimos 10 anos; confira principais casas

De acordo com dados do Google Trends, o pico do interesse nos últimos dez anos foi em setembro do ano passado, com a regulamentação do mercado.

Mercado
symbolLogoGreen
jose-francisco-mansur.jpg
Feb 19, 2024
Responsável por apostas, assessor José Francisco Mansur deixa Governo Lula

De acordo com nota da Assessoria Especial de Comunicação do Ministério da Fazenda, José Mansur foi exonerado a pedido. Ele sofria pressões dentro do governo por parte de políticos do Centrão.

Mercado
symbolLogoGreen
Imagem do time de futebol Santos
Feb 16, 2024
Santos estuda rescindir contrato com a Blaze após proposta da Parimatch

A Parimatch ofereceu ao Santos R$ 135 milhões por três anos para ser patrocinadora master do time. Equipe terá de pagar multa recisória à Blaze caso aceite a proposta.

Mercado