O que esperar do mercado de apostas em eSports no Brasil?

Atualizado: 29 Fev 2024
heloisa vasconcelos.webp

Escrito por:

Heloísa Vasconcelos

Sobre o autor

Investigo dados e fatos sobre legislação e tendências para criar notícias exclusivas.Leia mais
Jornalista
apostas em esports.jpg

O Brasil ainda aguarda a aprovação do marco legal dos jogos eletrônicos, mas já possui um mercado de eSports bastante pujante.

De acordo com levantamento da consultoria de dados Newzoo, o mercado brasileiro já está no top 10 mundial e gera uma receita total de US$ 2,6 bilhões no ano. A expectativa, segundo o estudo, é que o Brasil atinja um patamar próximo de US$ 3,5 bilhões até 2025, considerando uma taxa de crescimento de 10% ao ano.

O mercado de apostas esportivas está de olho nessa movimentação. Apesar de a opção ainda não ser oferecida pela maioria das casas, as apostas em eSports vêm crescendo e devem continuar com o mercado regulamentado.

Dentre 17 casas de apostas mais conhecidas que oferecem a opção de apostas em esportes eletrônicos, 7 constam na lista de manifestação de interesse do Ministério da Fazenda.

O cruzamento de dados foi realizado pelo Aposta Legal Brasil, com base na lista de 134 empresas que manifestaram interesse em operar apostas de quota fixa legalmente no país.

eSports nas casas de apostas

O sócio do Barcellos Tucunduva Advogados e especialista em mercado de jogos e tecnologia, Marcelo Mattoso, cita que muitas empresas que oferecem apostas em eSports permaneciam na ilegalidade, motivadas em parte pela falta de apoio dos próprios desenvolvedores dos jogos.

Muitos atletas de eSports são menores de idade, assim como parte importante do público consumidor dessa modalidade. Isso causa certa insegurança jurídica para que as desenvolvedoras apoiem apostas esportivas nesse nicho.

Mas, segundo Mattoso, essa situação vem sendo modificada aos poucos.

“Praticamente todos os jogos eletrônicos têm um ‘impedimento’ pela desenvolvedora. Não é bem um impedimento, na verdade, o que elas fazem é não criar parcerias, não incentivam, não permitem equipes com patrocínio de casas de apostas. Mas, no último ano, começou a se desmistificar”, coloca.

Ele aponta que esse é um dos motivos para que nem todas as casas de apostas ofertem a modalidade, aliado a questões de público alvo de cada empresa. Querendo ou não, esse é um mercado mais “arriscado”.

quoteIcon
O que há hoje em dia é uma aposta das casas de apostas que esse mercado vai ser lucrativo ao longo do tempo.
marcelo mattoso.jpg

Marcelo Mattoso

Sócio do Barcellos Tucunduva Advogados e especialista em mercado de jogos e tecnologia

O especialista em gestão de marketing esportivo Ricardo Grego acrescenta que o risco é maior por não haver ainda uma regulamentação no Brasil.

“Os esportes eletrônicos não são regulamentados como o futebol, não temos uma lei que regulamente, não temos federações e o próprio público do esports é contra. Ainda é uma massa cinzenta porque não tem regulamentação, é um mercado que se criou por ele mesmo”, diz.

Confira as empresas interessadas

checkGreenGradient
Bet365
checkGreenGradient
Betano
checkGreenGradient
Betway
checkGreenGradient
1XBET
checkGreenGradient
Novibet
checkGreenGradient
Rivarly
checkGreenGradient
Sportsbet.io
checkRedGradient
BC.Game
checkRedGradient
20Bet
checkRedGradient
22Bet
checkRedGradient
Pinnacle
checkRedGradient
F12.Bet
checkRedGradient
Parimatch
checkRedGradient
Stake
checkRedGradient
Betsson
checkRedGradient
Rivalo
checkRedGradient
Megapari

Expectativas com a regulamentação

Para Marcelo Mattoso, o número de empresas que oferecem apostas em eSports no Brasil deve crescer até 2025.

“O brasileiro é o quinto maior mercado consumidor de esportes eletrônicos. Essas empresas tem um olhar carinhoso em relação a esse mercado. Por mais que não sejamos muito eficientes em lucro, temos uma adesão muito grande de público. Há uma aposta, porque ninguém quer descartar um mercado consumidor tão ávido como o brasileiro”, afirma.

Ricardo Grecco reforça que as expectativas são muito positivas com a regulamentação e a adesão pelo mercado de esportes eletrônicos deve aumentar à medida que ele tenha um marco regulatório.

“É um mercado muito atrativo para patrocinadores [casas de apostas] porque atinge um público mais jovem, mais fácil e mais rápido. É um público muito difícil de ser impactado por algumas marcas como bancos”, ressalta.

Comentários

Deixe o seu comentário

Veja o que outros usuários dizem

Ainda sem comentários

Artigos relacionados

symbolLogoGreen
agu.png
10 Jul, 2024
AGU recorre pedido da Loterj contra bloqueio de sites de apostas

Para a Advocacia Geral da União (AGU), o bloqueio é inadequado já que a regulamentação do mercado de apostas é uma competência do governo federal.

Mercado
symbolLogoGreen
canal tigrinho.png
9 Jul, 2024
Atenção!
Canais oferecem dinheiro para criação de 'grupos do tigrinho' no WhatsApp

Esquema inclui pagamentos de R$ 20 a R$ 60 para quem criar os grupos, utilizando listas de contatos vazadas na internet. Grupos são utilizados para divulgar cassinos online ou para venda de produtos.

Mercado
symbolLogoGreen
sites bloqueados.jpg
12 Jul, 2024
Atenção!
Sites começam a ser bloqueados no Brasil após decisão favorável à Loterj

Algumas casas de apostas já estão fora do ar e criam links alternativos para manter o funcionamento.

Mercado
symbolLogoGreen
justiça.jpg
1 Jul, 2024
Casas de apostas sem licença da Loterj podem ser bloqueadas no Rio de Janeiro

A Loteria do Rio de Janeiro recebeu decisão favorável do Tribunal Regional Federal da 1ª Região para que as casas de apostas não licenciadas no estado sejam bloqueadas pela Anatel. Ainda cabe recurso à decisão.

Mercado
symbolLogoGreen
instagram jogo do tigrinho.jpg
28 Jun, 2024
Instagram é notificado para esclarecer divulgação de cassino online por crianças 

O Ministério Público de São Paulo instaurou processo contra a rede social por suposta omissão diante da propaganda de influencers menores de idade para o jogo do tigrinho.

Mercado
symbolLogoGreen
andré fufuca.png
11 Jul, 2024
Ministério do Esporte deve criar secretaria para acompanhar apostas esportivas

De acordo com o ministro André Fufuca, a secretaria será criada para acompanhar a integridade do esporte diante de denúncias de manipulação de resultados.

Mercado